domingo, 24 de julho de 2011

ESCOLA DR. JARQUES - PROJETO


30/05/2011 ( http://profjfilhojp.zip.net/ )
PROJETO: O USO DE SOFTWARE NO ENSINO DA MATEMÁTICA
GRÁFICO DE BARRAS OU DE COLUNAS

No mundo atual, as pessoas passarem a ter informações através das mais variadas fontes: revistas, jornais, rádio, TV, celular e internet.

Em muitas situações, a forma adotada para a transmissão é através da coleta e organização das informações. As tabelas e gráficos são muitos usados para facilitar o entendimento de determinados assuntos.

Recurso inicialmente muito usado no meio cientifico, como forma de visualizar dados, permitindo a análise e observação de informações, os gráficos são muito usados por esses meios de comunicação que necessitam de um modo rápido e dinâmico de passar informações de forma sintetizada os resultados de um trabalho ou de registrar uma pesquisa de opinião.

A Estatística é o ramo da Matemática que fornece métodos para coleta, organização e análise de informações, a fim de tirar conclusões. Da coleta de informações até sua análise, há algumas fases que devem ser seguidas.

Os alunos dos 6º Anos “A e B”, do turno matutino, da Escola Municipal Dr. Jarques Lúcio da Silva, sob a orientação do Professor da disciplina de Matemática, João Filho, realizarem uma atividade , usando papel quadriculado, atividade essa, voltada para a produção de tabelas e gráficos, no caso específico, o gráfico de barras, mais conhecido como de colunas.



Após abordagem do conteúdo em sala de aula, a turma foi dividida em grupos de 05(cinco) alunos que receberam um questionário contendo perguntas relacionadas à altura, idade, peso, sexo e n° de calçados. De posse desse questionário, os alunos passaram a realizar uma coleta de dados junto às outras equipes. Após o levantamento desses dados, em cada equipe, cada aluno escolheu uma das informações coletadas e realizaram a organização das informações em uma tabela.



O passo seguinte, sob a orientação do professor, foi feita a distribuição a cada aluno de uma folha de papel quadriculado, onde na oportunidade, o professor explicou sobre como essas informações deveriam ser inseridas na folha quadriculada em forma de gráfico de barras. Explicou sobre a construção dos eixos horizontal e vertical, local onde receberia as informações e como as mesmas, deveriam ser colocadas. Aproveitou para explicar sobre o espaçamento usado no papel quadriculado(possibilita a ampliação ou redução das barras ou colunas de cada gráfico), uma vez que cada informação coletada se diferenciava uma das outras e, assim, a representação gráfica de cada aluno teria uma representação diferente. 


A próxima fase da atividade como complementação do conhecimento, será realizada no Laboratório de Informática, onde está sendo desenvolvido o projeto "O Uso de Software no Ensino da Matemática". projeto que visa a inclusão desses alunos no mundo digital através do uso das tecnologias existentes no ambiente escolar.
 Alunos exibem seus gráficos de barras(colunas) - 6º Ano A e B
Nesta fase da atividade, os alunos serão apresentados ao ambiente Linux, onde conhecerão o software “Br Oficce Calc”. Com este software, eles irão reproduzir neste ambiente de trabalho o gráfico de barras(ou de colunas) que foi produzido em sala de aula. Esta atividade levará os mesmos a fazer uso correto desse software na aplicação e contextualização de temas abordados na disciplina de Matemática.http://www.slideshare.net/claitok/br-office-calc


Gráficos produzidos através do uso de papel quadriculado
LINK PARA CONHECER MELHOR O SOFTWARE BR OFFICE CALC:

ESCOLA DR. JARQUES - PROJETO


30/05/2011 (http://profjfilhojp.zip.net/)

CONCEITOS DE GEOMETRIA SÃO EXPLICADOS COM USO DE EMBALAGENS E USO DE SOFTWARE DE COMPUTADORES
Após a conclusão das atividades do Eixo 1 do curso de formação continuada “ELABORAÇÃO DE PROJETOS” chegou o momento de cada professor cursista elaborar e desenvolver junto com os seus alunos, um projeto pedagógico voltado para o uso das tecnologias existentes na escola. 

Como professor cursista já comecei a desenvolver o meu projeto intitulado “O USO DE SOFTWARE NO ENSINO DA MATEMÁTICA”. Com atividades voltadas para conteúdos desenvolvidos em sala de aula, este projeto proporcionará aos alunos não só a sua inclusão digital, mas também levará os mesmos a fazer uso correto de alguns softwares que lhes serão apresentados na aplicação e contextualização de temas abordados e estudados na disciplina de matemática. 
Para introduzir o conteúdo “figuras Planas e Não-Planas, no estudo da Geometria, o professor da disciplina de Matemática, João Filho, pediu aos seus alunos que trouxessem embalagens de papelão para serem analisadas em sala de aula. 
De posse dessas embalagens os alunos dos 6º Anos A e B do turno matutino da Escola Municipal Dr. Jarques Lúcio da Silva, manipularam, observaram e analisaram as embalagens. Separaram-as conforme a utilização das mesmas, ou seja, se eram usadas em pé(sentido vertical) ou se eram usadas deitadas(sentido horisontal). conheceram conceitos relacionados ao estudo de figuras planas e não-planas. 



Na manipulação das mesmas, os alunos conheceram suas faces es uas arestas. Perceberam que a maioria das embalagens possuem faces retangulares ou quadradas e que as embalagens são formadas por seis faces e doze arestas. Com relação aàs faces, o professor explorou nas embalagens a idéia do seja um plano e uma superfície plana(figuras planas), aquelas que têm todos os pontos em um mesmo plano. Já com relação às arestas(encontro de duas faces), foi mostrado, a formação de uma reta. e o encontro dos vértices, foi apresentado o conceito de ponto. 



A construção das embalagens com suas faces e arestas fez com que os alunos definissem o conceito do que era uma figura não-plana – figuras geométricas em que nem todos os seus pontos estão em um mesmo plano.
Após a assimilação desses conceitos, foi pedido aos alunos para manipular as embalagens de forma que as mesmas passassem a representar figuras planas. O professor aproveitou para explicar o conceito de planificações e pediu aos alunos para observarem que as embalagens são construídas a partir de figuras planas.


Foi solicitado aos alunos que montassem cartazes mostrando as embalagens planificadas e identificando suas faces e arestas. 
Ainda com relação ao conceitos de figuras planas foi solicitados aos alunos uma atividade extra-classe na qual os mesmos iriam construir com a ajuda de seus pais a planta baixa de suas casas. 


A próxima fase da atividade como complementação do conhecimento, será realizada no Laboratório de Informática, fazendo uso das teconologias exitentes na escola, nesta fase da atividade, os alunos serão apresentados ao ambiente Linux, onde conhecerão o software “small blue printer”. 
Através deste software, eles irão reproduzir neste ambiente as plantas baixas de suas respectivas casas, como também visualizar a mesma em 3D.


Ambiente de trabalho do software small blue printer


Representação de uma planta baixa de uma casa


Representação de uma planta de uma casa em 3D



















ESCOLA DR. JARQUES - FORMAÇÃO CONTINUADA


26/05/2011( http://profjfilhojp.zip.net/ )
24/05/2011 
ELABORAÇÃO DE PROJETOS


Inserir o uso da tecnologia no ambiente escolar. Este é um desafio que muitos educadores estão enfrentando, já que o uso das Novas Tecnologias de Comunicação e Informação (NTCIs) faz parte hoje do cotidiano da maioria dos jovens estudantes.Através do Proinfo Integrado e em parceria com a Undime/PB, os professores da rede municipal de ensino da cidade de São Bento, iniciaram mais uma etapa do curso de formação continuada, na modalidade de ensino à distância (EAD). Nesta etapa da formação, o curso que está sendo oferecido é “ELABORAÇÃO DE PROJETOS”, cujaestrutura curricular é de 40h, com duração de oito semanas, constituída em três eixos conceituais – Projeto, Currículo e Tecnologias –, que se integram com a prática pedagógica através da realização das atividades propostas e do aprofundamento teórico sobre o conceito de projeto e suas especificidades no contexto escolar, bem como a articulação das práticas pedagógicas baseadas em projetos de trabalho com aspectos relacionados ao currículo e à convergência de mídias e tecnologias de educação existentes na escola.
Após a conclusão das atividades do Eixo 1, os professores cursistas terão a oportunidade de elaborar e desenvolver junto com os seus alunos, um projeto pedagógico voltado para o uso das tecnologias existentes na escola.
Como aluno cursista, já fiz o esboço do meu projeto que será desenvolvido na Escola Municipal Dr. Jarques Lúcio da Silva, São Bento/PB. Veja a proposta de trabalho que estou desenvolvendo


PROJETO: O USO DE SOFTWARE NO ENSINO DA MATEMÁTICA

TEMA: TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO

UNIDADE DE ENSINO:
Esse projeto será realizado na Escola Municipal de Educação Infantil e do Ensino Fundamental Dr. Jarques Lúcio da Silva nas turmas de 6º Anos A e B do turno matutino e 8º Anos D e E do turno vespertino.


JUSTIFICATIVA
A apresentação e o uso de software no ensino da matemática proporcionará aos alunos não só a sua inclusão na área digital, mas também levará os mesmos a fazer uso correto desses softwares na aplicação e contextualização de temas abordados e estudados na disciplina de matemática


OBJETIVOS

GERAL:
Proporcionar a aprendizagem através do uso do computador, fazendo uso dos 
softwares e relacionando-os aos conteúdos desenvolvidos em sala de aula. 

ESPECÍFICOS:
Desenvolver nos alunos a sua formação através do uso e manuseio dos recursos tecnológicos oferecidos pelo computador
Conhecer os softwares(Word; Excel; Br Office White) e seus recursos básicos.
Direcionar informações adequadas para a construção de tabelas e gráficos.
Preparar o aluno para o manuseio e uso correto desses softwares.
Proporcionar aos alunos, a oportunidade de aprendizagem desses softwares no ensino da disciplina de Matemática.


DISCIPLINA - MATEMÁTICA

PROFESSOR RESPONSÁVEL - JOÃO SEVERINO DA SILVA FILHO

CONTEÚDOS A SEREM ESTUDADOSO COMPUTADOR;
GEOMETRIA
TABELAS;
GRÁFICOS; METODOLOGIA


As atividades desenvolvidas neste projeto, serão realizadas conforme forem surgidos os assuntos e assim, serão eles relacionados ao uso dos softwares(Word; Excel/ Br Office White). As atividades serão desenvolvidas ao longo do ano letivo de 2011, sendo que, para isso, haverá a realização, toda semana, de uma aula no laboratório de informática, com essas turmas. 
Com atividades direcionadas à disciplina de Matemática, a metodologia de ensino neste projeto, visará:

* A FORMAÇÃO DE DUPLAS PARA O USO DOS COMPUTADORES NO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA
* APRESENTAÇÃO DO SOFTWARE “PLANILHA ELETRÔNICA” ATRAVÉS DO USO DO PROJETOR
* DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES VOLTADAS PARA A INSERÇÃO DE DADOS NO AMBIENTE DE TRABALHO
* ORIENTAÇÕES SOBRE A INSERÇÃO DE BORDAS PARA A CONSTRUÇÃO DE TABELAS
* ORIENTAÇÕES SOBRE PROCEDIMENTOS QUE LEVARÃO OS ALUNOS A TRANSFORMAR ESSAS TABELAS EM GRÁFICOS
* MOSTRAR AOS ALUNOS, OS TIPOS DE GRÁFICOS USADO PELO SOFTWARE “PLANILHA ELETRÔNICA”
* SOLICITAÇÃO DE COMPRA PELOS ALUNOS DE MÍDIAS DE ARMAZENAMENTOS DE DADOS(CD, DVD, PEN DRIVE, CARTÃ ODE MEMÓRIA…ETC)
* CÓPIA DE ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELOS ALUNOS NESSAS MÍDIAS DE ARMAZENAMENTO DE DADOSCRONOGRAMA

Será estabelecido para o desenvolvimento desse projeto, uma semana. Nesse período, serão feitas as pesquisas sobre as dificuldades de cada disciplina. A sequência dos trabalhos será realizada no laboratório de informática, com discussão a cerca dos conteúdos e propostas, entre professores e alunos, para que juntos construam um saber significativo.


RECURSOS MATERIAISData Show
Computador
Internet
Softwares
Materiais Didáticos;
Projetor De Slides;
Pendrives;
Câmera Fotográfica; 


AVALIAÇÃO E RESULTADOS ESPERADOS
A avaliação será continua. Observar-se-á as praticas do dia-a-dia dos alunos, mudanças de comportamento, interesse e participação nas atividades realizadas.
DIVULGAÇÃO / SOCIALIZAÇÃO DO PROJETO REALIZADO

Blog da escola e do professor João FilhoREFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
Elaboração de projetos: guia do cursista / Maria Elisabette Brisola Brito Prado, Maria Elizabeth Bianconccini de Almeida (organizadoras). – 1. Ed. – Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação à Distância. 2009. 174p.
Softwares:

BrOffice Calc
BrOffice Writer
Small blue sprinter

%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%

PROFESSOR CURSISTA APRESENTA PROJETO A TURMA E A TUTOR

Concluído o Eixo 1 do curso de formação continuada “Elaboração de Projeto” que vem sendo oferecido aos professores da Escola Municipal Dr. Jarques Lúcio da Silva, chegou o momento desses professors cursistas apresentarem seus projetos que irão desenvolver em sala de aula com suas respectivas turmas.O professor, aluno cursista, João Filho, da disciplina de Matemática, teve hoje a oportunidade de apresentar as suas turmas de 6º anos A e B, do turno matutino e também sob o acompanhamento do tutor Bernardino Carreiro, o projeto “O Uso de Software no Ensino da Matemática”. Através do uso e manuseio dos recursos tecnológicos oferecidos pelo computador, este projeto irá proporcionar a seus alunos não só a sua inclusão na área digital, mas também a oportunidade dos mesmos de fazerem uso correto de alguns softwares na aplicação e contextualização de temas abordados e estudados em sala de aula.
Com o uso do Data Show, o professor expôs para os alunos e também para o tutor, uma apresentação de slides onde enfatizou o objetivo e a importância do projeto dentro do contexto atual em que a Escola Municipal Dr. Jarques está vivendo: o desenvolvimento desse projeto é resultado das atividades propostas no curso de formação continuada que os professores da escola estão cursando.

Tutor Bernardino e as turmas dos 6º anos A e B 
atentos a apresentação do projeto

Após a exposição do projeto, o tutor, Bernardino Carreiro, fez uso da palavra, parabenizou o professor pelo trabalho apresentado e enfatizou a importância do projeto. Pediu participação de todos os alunos para que o projeto possa produzir uma aprendizagem mais eficiente no uso dessas novas tecnologias que serão lhes apresentados.
Após a apresentação do projeto - tutor Bernardino enfatiza a importância desse trabalho

Logo em seguida, o professor apresentou ao tutor,  a primeira atividade desenvolvida com os alunos: uma ficha de sondagem, questionário voltado para o levantamento de informações sobre o que seus alunos já sabem sobem o computador. De posse desses questionários, o professor João Filho irá fazer um levantamento sobre o que de imediato trará para os seus alunos no próximo encontro no Laboratório de Informática.

Teste de sondagem - alunos responderam aos questionamentos do teste

EDUCAÇÃO EM FOCO- PROINFO INTEGRADO



ELABORAÇÃO DE PROJETOS
 
Inserir o uso da tecnologia no ambiente escolar. Este é um desafio que muitos educadores estão enfrentando, já que o uso das Novas Tecnologias de Comunicação e Informação (NTCIs) faz parte hoje do cotidiano da maioria dos jovens estudantes.
Através do Proinfo Integrado e em parceria com a Undime/PB, os professores da rede municipal de ensino da cidade de São Bento, iniciaram mais uma etapa do curso de formação continuada, na modalidade de ensino à distância (EAD). Nesta etapa da formação, o curso que está sendo oferecido é “ELABORAÇÃO DE PROJETOS”, cuja estrutura curricular é de 40h, com duração de oito semanas, constituída em três eixos conceituais – Projeto, Currículo e Tecnologias –, que se integram com a prática pedagógica através da realização das atividades propostas e do aprofundamento teórico sobre o conceito de projeto e suas especificidades no contexto escolar, bem como a articulação das práticas pedagógicas baseadas em projetos de trabalho com aspectos relacionados ao currículo e à convergência de mídias e tecnologias de educação existentes na escola.
Após a conclusão das atividades do Eixo 1, os professores cursistas terão a oportunidade de elaborar e desenvolver junto com os seus alunos, um projeto pedagógico voltado para o uso das tecnologias existentes na escola.
Como aluno cursista, já fiz o esboço do meu projeto que será desenvolvido na Escola Municipal Dr. Jarques Lúcio da Silva, São Bento/PB. Veja a proposta de trabalho que estou desenvolvendo
PROJETO: O USO DE SOFTWARE NO ENSINO DA MATEMÁTICA
TEMA: TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO
UNIDADE DE ENSINO:
Esse projeto será realizado na Escola Municipal de Educação Infantil e do Ensino Fundamental Dr. Jarques Lúcio da Silva nas turmas de 6º Anos A e B do turno matutino e 8º Anos D e E  do turno vespertino.
JUSTIFICATIVA
A apresentação e o uso de software no ensino da matemática proporcionará aos alunos não só a sua inclusão na área digital, mas também levará os mesmos a fazer uso correto desses softwares na aplicação e contextualização de temas abordados e estudados  na disciplina de matemática
OBJETIVOS
GERAL:
  • Proporcionar a aprendizagem através do uso do computador, fazendo uso dos softwares e relacionando-os aos conteúdos desenvolvidos em sala de aula.
 ESPECÍFICOS:
  • Desenvolver nos alunos a sua formação através do uso e manuseio dos recursos tecnológicos oferecidos pelo computador
  • Conhecer os softwares(Word; Excel; Br Office White) e seus recursos básicos.
  • Direcionar informações adequadas para a construção de tabelas e gráficos.
  • Preparar o aluno para o manuseio e uso correto desses softwares.
  • Proporcionar aos alunos, a oportunidade de aprendizagem desses softwares  no ensino da disciplina de Matemática.
DISCIPLINA E PROFESSOR RESPONSÁVEL
MATEMÁTICA
JOÃO SEVERINO DA SILVA FILHO
CONTEÚDOS A SEREM ESTUDADOS
  • O COMPUTADOR;
  • GEOMETRIA
  • TABELAS;
  • GRÁFICOS;
 METODOLOGIA
      As atividades desenvolvidas neste projeto, serão realizadas conforme forem surgidos os assuntos e assim, serão eles relacionados ao uso dos softwares(Word;  Excel/ Br Office White).  As atividades serão desenvolvidas ao longo do ano letivo de 2011, sendo que, para isso, haverá a realização, toda semana, de uma aula no laboratório de informática, com essas turmas.
Com atividades direcionadas à disciplina de Matemática, a metodologia de ensino neste projeto, visará:
  •  A FORMAÇÃO DE DUPLAS PARA O USO DOS COMPUTADORES NO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA
  • APRESENTAÇÃO DO SOFTWARE “PLANILHA ELETRÔNICA” ATRAVÉS DO USO DO PROJETOR
  •  DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES VOLTADAS PARA A INSERÇÃO DE DADOS NO AMBIENTE DE TRABALHO
  •  ORIENTAÇÕES SOBRE A INSERÇÃO DE BORDAS PARA A CONSTRUÇÃO DE TABELAS
  •  ORIENTAÇÕES SOBRE PROCEDIMENTOS QUE LEVARÃO OS ALUNOS A TRANSFORMAR ESSAS TABELAS EM GRÁFICOS
  •  MOSTRAR AOS ALUNOS, OS TIPOS DE GRÁFICOS USADO PELO SOFTWARE “PLANILHA ELETRÔNICA”
  •  SOLICITAÇÃO DE COMPRA PELOS ALUNOS DE MÍDIAS DE ARMAZENAMENTOS DE DADOS(CD, DVD, PEN DRIVE, CARTÃ ODE MEMÓRIA…ETC)
  •  CÓPIA DE ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELOS ALUNOS NESSAS MÍDIAS DE ARMAZENAMENTO DE DADOS
CRONOGRAMA
Será estabelecido para o desenvolvimento desse projeto, uma semana. Nesse período, serão feitas as pesquisas sobre as dificuldades de cada disciplina. A sequência dos trabalhos será realizada no laboratório de informática, com discussão a cerca dos conteúdos e propostas, entre professores e alunos, para que juntos construam um saber significativo.
RECURSOS MATERIAIS
  • Data Show
  • Computador
  • Internet
  • Softwares
  • Materiais Didáticos;
  • Projetor De Slides;
  • Pendrives;
  • Câmera Fotográfica;
 AVALIAÇÃO E RESULTADOS ESPERADOS
A  avaliação será continua. Observar-se-á as praticas do dia-a-dia dos alunos, mudanças de comportamento, interesse e participação nas atividades realizadas.
DIVULGAÇÃO / SOCIALIZAÇÃO DO PROJETO REALIZADO
  • Blog da escola e do professor João Filho
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
Elaboração de projetos: guia do cursista / Maria Elisabette Brisola Brito Prado, Maria Elizabeth Bianconccini de Almeida (organizadoras). – 1. Ed. – Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação à Distância. 2009. 174p.
Softwares:
  • BrOffice Calc
  • BrOffice Writer
  • Small blue sprinter

ESCOLA MONSENHOR - USINAS TERMONUCLEARES

24/04/2011 (http://profjfilhojp.zip.net/)
RADIOATIVIDADE - Efeitos da radiação variam de acordo com a quantidade e com os órgãos atingidos
Câncer, hemorragia, problemas digestivos, infecções ou doenças autoimunes: o impacto da radiação nuclear, potencialmente devastador, varia dependendo da dosagem.

Em grandes doses, existe uma relação direta entre a quantidade de radiação recebida e a patologia induzida. As contaminações brutais, como aquelas provocadas pelas bombas atômicas de Hiroshima e Nagasaki, podem causar problemas durante décadas.

Os efeitos biológicos variam também segundo a natureza da radiação e os órgãos atingidos (ovários ou testículos são considerados 20 vezes mais sensíveis do que a pele) pelo câncer ou pela via de absorção (oral ou cutânea) e a suscetibilidade individual (capacidade de reparar o DNA).



No Japão, nuvens invisíveis carregadas de elementos radioativos (iodo, césio) são expelidas pela usina nuclear danificada de Fukushima e se deslocam em função da meteorologia e do vento.

Para a população, exposta a uma contaminação por tais dejetos radioativos, o principal perigo é o de desenvolver câncer (leucemia, pulmonar, cólon...) com "um risco proporcional à dose recebida", destacou Patrick Gourmelon, diretor da radioproteção do homem no Instituto francês de Radioproteção e Segurança Nuclear (IRSN).

As distribuições de pastilhas de iodo têm como objetivo combater o câncer de tireoide, principalmente entre a população jovem (bebês, crianças, adolescentes, mulheres grávidas e assim por diante...). A finalidade é saturar a tireoide para evitar que o iodo radioativo se fixe na glândula.

Quanto ao césio 137 inalado, o organismo leva cerca de dois anos para o eliminar, mas ele persiste por décadas no meio ambiente, segundo Gourmelon.

"Atualmente, não há uma medida particular a ser tomada pelos habitantes de Tóquio", informou nesta terça-feira a professora Agnès Buzyn, hematologista do IRSN, desaconselhando o uso prematuro de pastilhas de iodo.

"Há um impacto ambiental e possivelmente na saúde das pessoas que habitam as redondezas da central", estimou a especialista, ainda que, por ora, a zona de evacuação de 20/30 km lhe pareça "suficiente".

"As pessoas que receberam doses fracas correm o risco de desenvolver cânceres (leucemia, pulmonar, cólon, esôfago, mama...), como foi em Hiroshima", notou Gourmelon.

"Estamos falando de doses fracas, abaixo dos 100 milisieverts (mSv)", acrescentou.



As doses de risco são calculadas e expressas em sievert (Sv) para câncer. A exposição máxima à radioativdade artificial admitida para o grande público é de um milisievert (mSv) por ano.

Além dos 100 mSv, o risco de câncer aumenta em 5,5% por sievert adicional, de acordo com a Comissão Internacional de Proteção Radiológica (CIPR), informou o professor Yves-Sébastien Cordoliani, especialista em radioproteção da companhia francesa de radiologia. No entanto, as "taxas" e o caráter homogêneo ou não da irradiação intervêm na avaliação do risco acidental.

"60 anos após as explosões das bombas atômicas no Japão, ainda há um leve excesso de câncer entre a população contaminada", revelou o professor Cordoliani. O pico de casos de leucemia foi registrado sete anos após Hiroshima, informou.

Em caso de um acidente, a irradiação pode atingir vários sieverts em pessoas próximas ao reator.

Quando há uma grande exposição a irradiação, as células da medula óssea, que fabricam os glóbulos vermelhos e brancos e as plaquetas sanguíneas, podem ser destruídas e a pessoa morre. As células do tubo digestivo são também muito sensíveis à radiação, segundo especialistas. Sem tratamento, um nível de 6 Sv de exposição é letal.


As consequências das doses baixas são pouco conhecidas. Elas podem influenciar no desenvolvimento de cataratas, um risco monitorado por profissionais de saúde expostos a radiologia (como cardiologistas, por exemplo).

ESCOLA MONSENHOR - ACIDENTE NUCLEAR


24/04/2011 (http://profjfilhojp.zip.net/)



USINA TERMONUCLEAR DE FUKUSHIMA
Com a ampliação dos conhecimentos científicos e o desenvolvimento de novas tecno­logias, podemos observar grandes influências da ciência na sociedade em que vivemos.

Essa influência pode ocorrer devido a novas descobertas que trazem benefícios e melhorias nas condições de vida do ser humano. Uma dessas descobertas, a noção do átomo, e a produção de energia nuclear foi concretizada na ciência durante o século XX.

Vivendo o momento atual que passa o Japão, assolado por um dos maiores terremotos da história da humanidade e consequentemente o acidente nuclear da usina de Fukushima, os alunos do 9º Ano C, do turno vespertino, da Escola Municipal Monsenhor Walfredo Gurgel, em seus estudos sobre o átomo, puderam compreender melhor através de atividades de pesquisa o que é a Energia Nuclear. 



Finalizando os estudos, a turma do 9º Ano C, pode ainda pesquisar via internet em vários canais de comunicação, notícias diárias sobre o acidente na Usina de Fukushima. 

O terremoto de 8,9 graus na escala Richter e o tsunami que abalaram o Japão na madrugada do último dia 11 de março (horário de Brasília) provocaram danos na usina nuclear de Fukushima, localizada na região nordeste da ilha. Vazamentos radioativos foram registrados e um iminente desastre nuclear mobilizou a comunidade internacional.

No momento do terremoto, 11 usinas localizadas na região entraram em processo de desligamento. Como parte do procedimento, os reatores precisam ser resfriados, uma vez que a fissão nuclear permanece ocorrendo mesmo após a interrupção na geração da energia. Cerca de uma hora depois do tremor, a usina de Fukushima foi atingida pelo tsunami. O sistema de resfriamento foi avariado e os técnicos japoneses passaram a adotaram medidas alternativas, como a injeção de água do mar nos reatores. Mesmo assim, três explosões se sucederam, a última delas na manhã da segunda-feira (14).

Segundo informações do governo japonês, houve vazamento radioativo, mas os reatores estão preservados. Os níveis de radiação no entorno da usina superaram em oito vezes o limite de segurança, forçando a evacuação da população em um raio de 20 km ao redor da usina.

Segundo Laércio Vinhas, diretor de Radioproteção e Segurança Nuclear, da Comissão Nacional de Energia Nuclear brasileira, as medidas tomadas pelo governo japonês estão de acordo com o manual de operações para crises em usinas.



Em 
Fukushima, explica o especialista, as explosões ocorreram quando a água usada para o resfriamento se tornou vapor de alta temperatura – liberando hidrogênio, altamente inflamável. Ainda que o reator seja danificado, Vinhas acredita que o acidente não deverá atingir grande magnitude. “Ainda sabemos pouco sobre a dimensão dos acontecimentos.

Mas mesmo com o núcleo exposto, a estrutura da usina japonesa tem capacidade para evitar uma exposição exagerada. Caso isso ocorra, as consequências serão bem locais”, afirma.

Mas mesmo com o núcleo exposto, a estrutura da usina japonesa tem capacidade para evitar uma exposição exagerada. Caso isso ocorra, as consequências serão bem locais”, afirma.

Vinhas afirma que não é possível comparar o acidente de Fukushima ao ocorrido em Chernobyl, na Ucrânia, em 1986. "Naquele caso, as estruturas eram defasadas. E o acidente aconteceu com o reator em funcionamento", explica o diretor. O evento do Japão é mais parecido com o acidente na usina Three Mile Island, em 1979, nos Estados Unidos”, avalia Vinhas. 


Na ocasião, em TMI, não houve vítimas nem vazamento de radiação para além dos limites da usina. No entanto, no Japão, com o acidente ainda fora de controle e dificuldade das autoridade em mensurar seus efeitos, os estragos podem ser maiores.

(Revista Nova Escola -Publicado em Março 2011 )

ESCOLA MONSENHOR - USINAS TERMONUCLEARES

24/04/2011 (http://profjfilhojp.zip.net/)

PRINCIPAIS ACIDENTES EM USINAS TERMONUCLEARES

Com a ampliação dos conhecimentos científicos e o desenvolvimento de novas tecno­logias, podemos observar grandes influências da ciência na sociedade em que vivemos.

Essa influência pode ocorrer devido a novas descobertas que trazem benefícios e melhorias nas condições de vida do ser humano. Uma dessas descobertas, a noção do átomo, e a produção de energia nuclear foi concretizada na ciência durante o século XX.

Vivendo o momento atual que passa o Japão, assolado por um dos maiores terremotos da história da humanidade e consequentemente o acidente nuclear da usina de Fukushima, os alunos do 9º Ano C, do turno vespertino, da Escola Municipal Monsenhor Walfredo Gurgel, em seus estudos sobre o átomo, puderam compreender melhor através de atividades de pesquisa o que é a Energia Nuclear.

Já com relação aos acidentes em usinas termonucleares, foi feito um levantamento sobre os principais acidentes ocorridos nas últimas décadas e suas consequências:

* 28 de março de 1979
ESTADOS UNIDOSEm Three Mile Island (Pensilvânia), uma série de erros humanos e de falhas materiais impediram o resfriamento normal de um reator, cujo centro começou a derreter.

Os dejetos radioativos provocaram uma enorme contaminação no interior do recinto de confinamento (Containment Building), mas não afetou a população nem o meio ambiente.

Cerca de 140 mil pessoas foram temporariamente deslocadas. O acidente foi classificado no nível 5 da escala internacional de eventos nucleares (INES), de um total de sete níveis.

* Agosto de 1979
ESTADOS UNIDOSUm vazamento de urânio em uma instalação nuclear secreta perto de Erwin (Tennessee) contaminou cerca de mil pessoas.

* Janeiro-Março de 1981
JAPÃOQuatro vazamentos radioativos ocorrem na usina nuclear de Tsuruga (centro), contaminando por radiação 278 pessoas.

* 26 de abril de 1986
URSS
O reator número 4 da usina soviética de Tchernobil (Ucrânia) explodiu durante um teste de segurança, causando a maior catástrofe nuclear civil da história e fazendo mais de 25 mil mortos (estimativas oficiais).

Durante dez dias, o combustível nuclear queimou, jogando na atmosfera radionuclídeos de uma intensidade equivalente a mais de 200 bombas atômicas iguais à que caiu em Hiroshima. Três quartos da Europa foram contaminados.

Moscou tentou encobrir o desastre e, depois, minimizar o acidente, classificado em nível 7. As vítimas foram em maioria russos, ucranianos e bielorrussos que participaram da limpeza e da construção de um sarcófago ao redor do reator acidentado.

* Abril de 1993
RÚSSIAUma explosão na usina de reprocessamento de combustível irradiado em Tomsk-7, cidade secreta da Sibéria Ocidental, provocou a formação de uma nuvem e a projeção de matérias radioativas. O número de vítimas é desconhecido.

* 11 de março de 1997
JAPÃO A usina experimental de reprocessamento de Tokaimura (nordeste de Tóquio) foi parcialmente paralisada depois de um incêndio e de uma explosão que contaminou 37 pessoas.

* 30 de setembro de 1999
JAPÃO Um novo acidente no centro de Tokaimura, devido a erro humano, levou à morte dois técnicos. Mais de 600 pessoas, funcionários e habitantes do entorno, foram expostas à radiação e cerca de 320 mil pessoas foram evacuadas da área. Esse acidente, classificado em nível 4, foi o mais grave depois de Tchernobil.

Os dois técnicos haviam provocado involuntariamente um acidente de criticidade (reação nuclear descontrolada) ao utilizar uma quantidade de urânio muito superior à prevista durante o processo de fabricação.

* 9 de agosto de 2004
JAPÃO Na usina nuclear de Mihama, no centro do Japão, vapor não radioativo vazou por um encanamento que se rompeu em seguida, ao que parece, por uma grande corrosão, provocando a morte de cinco funcionários por queimaduras.

* 23 de julho de 2008
FRANÇADurante uma operação de manutenção realizada em um dos reatores da usina nuclear de Tricastin, no sul do país, substâncias radioativas vazaram, contaminando muito levemente uma centena de empregados.

* 12 de março de 2011
JAPÃO
No dia seguinte a um terremoto muito forte seguido de tsunami, uma explosão ocorreu no reator da usina nuclear de Fukushima Nº1, 250 km ao norte de Tóquio. O acidente já é classificado por especialistas no nível 4 da escala internacional de eventos nucleares (INES), que vai até o nível 7.

ESCOLA MONSENHOR - USINAS TERMONUCLEARES

DESVANTAGENS
Com a ampliação dos conhecimentos científicos e o desenvolvimento de novas tecno­logias, podemos observar grandes influências da ciência na sociedade em que vivemos.

Essa influência pode ocorrer devido a novas descobertas que trazem benefícios e melhorias nas condições de vida do ser humano. Uma dessas descobertas, a noção do átomo, e a produção de energia nuclear foi concretizada na ciência durante o século XX.

Vivendo o momento atual que passa o Japão, assolado por um dos maiores terremotos da história da humanidade e consequentemente o acidente nuclear da usina de Fukushima, os alunos do 9º Ano C, do turno vespertino, da Escola Municipal Monsenhor Walfredo Gurgel, em seus estudos sobre o átomo, puderam compreender melhor através de atividades de pesquisa o que é a Energia Nuclear.

Também não foi desconsiderada durante a pesquisa as desvantagens do uso da energia nuclear. Começando pela produção de resíduos radioativos, que

é normalmente baixa, mas representa um problema pois os elementos contidos no combustível queimado, pricipalmente os produtos de fissão, demoram um tempo muito longo para decairem em outros elementos e apresentam alta radioatividade, portanto é necessário que eles fiquem confinados em um depósito próprio onde não possa haver nem interferência humana externa nem interferência ambiental (já que a inteferência ambiental pode causar vazamentos e deslocamento dos elementos).

Com a ampliação dos conhecimentos científicos e o desenvolvimento de novas tecno­logias, podemos observar grandes influências da ciência na sociedade em que vivemos.

Essa influência pode ocorrer devido a novas descobertas que trazem benefícios e melhorias nas condições de vida do ser humano. Uma dessas descobertas, a noção do átomo, e a produção de energia nuclear foi concretizada na ciência durante o século XX.

Vivendo o momento atual que passa o Japão, assolado por um dos maiores terremotos da história da humanidade e consequentemente o acidente nuclear da usina de Fukushima, os alunos do 9º Ano C, do turno vespertino, da Escola Municipal Monsenhor Walfredo Gurgel, em seus estudos sobre o átomo, puderam compreender melhor através de atividades de pesquisa o que é a Energia Nuclear.

Também não foi desconsiderada durante a pesquisa as desvantagens do uso da energia nuclear. Começando pela produção de resíduos radioativos, que

é normalmente baixa, mas representa um problema pois os elementos contidos no combustível queimado, pricipalmente os produtos de fissão, demoram um tempo muito longo para decairem em outros elementos e apresentam alta radioatividade, portanto é necessário que eles fiquem confinados em um depósito próprio onde não possa haver nem interferência humana externa nem interferência ambiental (já que a inteferência ambiental pode causar vazamentos e deslocamento dos elementos).

A produção de gases de estufa de uma usina núclear comum está de 3 a 6 vezes maior comparada com a energia hídrica e éolica, considerando o processo todo necessário para operá-la.

Em perigo não deixa de está todo funcionário que opera na proximidade de substâncias radioativas. 


Com relação a segurança, a Agência Internacional de Energia Atômica é um orgão internacional regulatório que salva-guarda a construção e uso da energia nuclear no mundo. Os requisitos para a obtenção de salva-guarda são severos e reconhecidos pela exigência em relação à segurança e operação de usinas nucleares; sem uma salva-guarda, um país é proibido de realizar a construção de instalações nucleares. Um dos requisitos para a obtenção de salva-guarda é que a instalação em questão deve ser supervisionada durante toda a sua existência por um grupo internacional de supervisores especializados em segurança radiológica e nuclear.

A
Agência Internacional de Energia Atómica alertou que terroristas poderiam vir a comprar resíduos radioativos, por exemplo de países da ex-URSS ou de países com ditaturas que usam tecnologias nucleares, tais como Irã ou Coreia-Norte, e construir uma chamada "bomba suja".

O
acidente radiológico de Goiânia, no Brasil em 1987, onde foi encontrada por moradores em um lixão, contida dentro de uma máquina hospitalar e levada para casa e exposta a todos do bairro, pois, brilhava no escuro. uma pedra de sal de cloreto de Césio-137, um isótopo radioativo, de um hospital abandonado, mostra o quão fácil é desviar materiais altamente radioativos.

ESCOLA MONSENHOR - ENERGIA ATÔMICA

24/04/2011

USINAS TERMONUCLEARES

Com a ampliação dos conhecimentos científicos e o desenvolvimento de novas tecno­logias, podemos observar grandes influências da ciência na sociedade em que vivemos.

Essa influência pode ocorrer devido a novas descobertas que trazem benefícios e melhorias nas condições de vida do ser humano. Uma dessas descobertas, a noção do átomo, e a produção de energia nuclear foi concretizada na ciência durante o século XX.

Vivendo o momento atual que passa o Japão, assolado por um dos maiores terremotos da história da humanidade e consequentemente o acidente nuclear da usina de Fukushima, os alunos do 9º Ano C, do turno vespertino, da Escola Municipal Monsenhor Walfredo Gurgel, em seus estudos sobre o átomo, puderam compreender melhor através de atividades de pesquisa o que é a Energia Nuclear.

Com a descoberta da Energia Nuclear e sua utilização na geração de energia elétrica, os alunos partiram para a realização de uma pesquisa via internet com o objetivo de conhecer mais sobre a energia nuclear e a existência de usinas termonucleares no mundo.

Com a ampliação dos conhecimentos científicos e o desenvolvimento de novas tecno­logias, podemos observar grandes influências da ciência na sociedade em que vivemos.

Essa influência pode ocorrer devido a novas descobertas que trazem benefícios e melhorias nas condições de vida do ser humano. Uma dessas descobertas, a noção do átomo, e a produção de energia nuclear foi concretizada na ciência durante o século XX.

Vivendo o momento atual que passa o Japão, assolado por um dos maiores terremotos da história da humanidade e consequentemente o acidente nuclear da usina de Fukushima, os alunos do 9º Ano C, do turno vespertino, da Escola Municipal Monsenhor Walfredo Gurgel, em seus estudos sobre o átomo, puderam compreender melhor através de atividades de pesquisa o que é a Energia Nuclear.

Com a descoberta da Energia Nuclear e sua utilização na geração de energia elétrica, os alunos partiram para a realização de uma pesquisa via internet com o objetivo de conhecer mais sobre a energia nuclear e a existência de usinas termonucleares no mundo.

A fissão nuclear do urânio é a principal aplicação civil da energia nuclear. É usada em centenas de centrais nucleares em todo o mundo, principalmente em países como a França, Japão, Estados Unidos, Alemanha, Brasil, Suécia, Espanha, China, Rússia, Coreia do Norte, Paquistão e Índia, entre outros.



A percentagem da energia nuclear na geração de energia mundial é de 6,5 % (1998,UNDP) e de 16 % na geração de energia elétrica. No mês de janeiro 2009 estavam em funcionamento 210 usinas nucleares em 31 países com ao todo 438 reatores produzindo a potência elétrica total de 372 GW.

Foi pesquisado pelos alunos que no Japão existem 56 usinas em funcionamento, cuja produção de energia elétrica, corresponde a 30%. Tendo ainda 4 usinas desligadas e 1 em fase de construção.

Ainda com relação a pesquisa, os aluno puderam conhecer sobre a vantagem do uso da energia nuclear. Uma dessas vantagens é a não utilização de combustíveis fósseis. Outra, é a de não necessitar o alagamento de grandes áreas para a formação dos lagos de reservatórios, evitando assim a perda de áreas de reservas naturais ou de terras agriculturáveis, bem como a remoção de comunidades inteiras das áreas que são alagadas e ainda, a energia nuclear é imune à alterações climáticas futuras que porventura possam trazer alterações no regime de chuvas.

ESCOLA MONSENHOR - ELEMENTOS QUÍMICOS

24/04/2011 http://profjfilhojp.zip.net/)

FISSÃO NUCLEAR - O ÁTOMO

Com a ampliação dos conhecimentos científicos e o desenvolvimento de novas tecno­logias, podemos observar grandes influências da ciência na sociedade em que vivemos.

Essa influência pode ocorrer devido a novas descobertas que trazem benefícios e melhorias nas condições de vida do ser humano. Uma dessas descobertas, a noção do átomo, e a produção de energia nuclear foi concretizada na ciência durante o século XX. 




Vivendo o momento atual que passa o Japão, assolado por um dos maiores terremotos da história da humanidade e consequentemente o acidente nuclear da usina de Fukushima, os alunos do 9º Ano C, do turno vespertino, da Escola Municipal Monsenhor Walfredo Gurgel, em seus estudos sobre o átomo, puderam compreender melhor através de atividades de pesquisa o que é a Energia Nuclear.

Inicialmente viram a composição atômica de um átomo que é constituído por elétrons, prótons e nêutrons e seus descobridores:

· Joseph John Thomson: físico inglês, que em 1897, através de experimentos com descargas elétricas, descobriu a existên­cia da partícula subatômica: o elétron.

· Ernest Rutherford: físico neozelandês, que com seus experimentos, o le­varam a descobrir o núcleo atômico, e a existência de outra partícula subatômica: o próton.

· James Chadwick: outro físico inglês, que em 1932, descobriu, por meio de seus experimentos, a existência de outra partícula subatômica: o nêutron.

· Otto Hahn, Fritz Strassmann e Lise Meitner: químicos alemães (1902-1980) e a física austríaca, em seus experimentos relacionados ao comportamento do átomo, demonstra­ram, em 1938, que o núcleo de um elemento químico chama­do urânio podia ser dividido em dois com o impacto de um nêutron.


Com a fissão do núcleo atômico de certos elementos químicos, percebeu-se que durante esse processo era liberada uma grande quantidade de energia. Essa energia liberada, conhecida como energia nuclear é atualmente utilizada na geração de energia elétrica nas usinas termonucleares em vários países.

ESCOLA JARQUES - PROJETO

CONCEITOS DE GEOMETRIA SÃO EXPLICADOS COM USO DE EMBALAGENS E USO DE SOFTWARE DE COMPUTADORES 

Após a conclusão das atividades do Eixo 1 do curso de formação continuada “ELABORAÇÃO DE PROJETOS” chegou o momento de cada professor cursista elaborar e desenvolver junto com os seus alunos, um projeto pedagógico voltado para o uso das tecnologias existentes na escola. 

Como professor cursista já comecei a desenvolver o meu projeto intitulado “O USO DE SOFTWARE NO ENSINO DA MATEMÁTICA”. Com atividades voltadas para conteúdos desenvolvidos em sala de aula, este projeto proporcionará aos alunos não só a sua inclusão digital, mas também levará os mesmos a fazer uso correto de alguns softwares que lhes serão apresentados na aplicação e contextualização de temas abordados e estudados na disciplina de matemática. 

Para introduzir o conteúdo “figuras Planas e Não-Planas, no estudo da Geometria, o professor da disciplina de Matemática, João Filho, pediu aos seus alunos que trouxessem embalagens de papelão para serem analisadas em sala de aula. 

De posse dessas embalagens os alunos dos 6º Anos A e B do turno matutino da Escola Municipal Dr. Jarques Lúcio da Silva, manipularam, observaram e analisaram as embalagens. Separaram-as conforme a utilização das mesmas, ou seja, se eram usadas em pé(sentido vertical) ou se eram usadas deitadas(sentido horisontal). conheceram conceitos relacionados ao estudo de figuras planas e não-planas. 



Na manipulação das mesmas, os alunos conheceram suas faces es uas arestas. Perceberam que a maioria das embalagens possuem faces retangulares ou quadradas e que as embalagens são formadas por seis faces e doze arestas. Com relação aàs faces, o professor explorou nas embalagens a idéia do seja um plano e uma superfície plana(figuras planas), aquelas que têm todos os pontos em um mesmo plano. Já com relação às arestas(encontro de duas faces), foi mostrado, a formação de uma reta. e o encontro dos vértices, foi apresentado o conceito de ponto. 


A construção das embalagens com suas faces e arestas fez com que os alunos definissem o conceito do que era uma figura não-plana – figuras geométricas em que nem todos os seus pontos estão em um mesmo plano. 

Após a assimilação desses conceitos, foi pedido aos alunos para manipular as embalagens de forma que as mesmas passassem a representar figuras planas. O professor aproveitou para explicar o conceito de planificações e pediu aos alunos para observarem que as embalagens são construídas a partir de figuras planas. 

Foi solicitado aos alunos que montassem cartazes mostrando as embalagens planificadas e identificando suas faces e arestas. 

Ainda com relação ao conceitos de figuras planas foi solicitados aos alunos uma atividade extra-classe na qual os mesmos iriam construir com a ajuda de seus pais a planta baixa de suas casas. 

A próxima fase da atividade como complementação do conhecimento, será realizada no Laboratório de Informática, fazendo uso das teconologias exitentes na escola, nesta fase da atividade, os alunos serão apresentados ao ambiente Linux, onde conhecerão o software “small blue printer”. 

Através deste software, eles irão reproduzir neste ambiente as plantas baixas de suas respectivas casas, como também visualizar a mesma em 3D. 
Ambiente de trabalho do software small blue printer 
Representação de uma planta baixa de uma casa 
Representação de uma planta de uma casa em 3D